top of page

Papel do esporte na luta não capacitista foi tema da redação da UEMS

Termo é usado para nomear o preconceito e a discriminação sofrido por pessoas com deficiência


Por Natália Olliver e Idaicy Solano/ CAMPO GRANDE NEWS

Caderno de redação do Vestibular da Uems, aplicado neste domingo (Foto: Juliano Almeida) - CREDITO: CAMPO GRANDE NEWS

O papel do esporte na construção de uma sociedade não capacitista foi tema da redação da Uems (Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul), neste domingo (26). O termo é usado para nomear o preconceito e a discriminação que a pessoas com deficiência vivem por ter a existência relacionada à incapacidade e inferioridade.


O tema pegou os vestibulandos de surpresa, pois muitos acreditavam que a prova abordaria questões de conflito, como as guerras no Oriente Médio e Rússia e as queimadas no Brasil. Felipe Nakazaki foi um dos poucos que achou a temática boa. O jovem quer cursar fisioterapia e sempre amou o esporte.


Felipe Nakazaki, estudante quer cursar medicina (Foto: Felipe Nakazaki) - CREDITO: CAMPO GRANDE NEWS

“Não é um tema muito falado. O capacitismo é um problema bem evidente. Eu gosto muito de esporte, por isso quero fazer fisioterapia”. Ele conta que estava familiarizado com o assunto e que usou a Fundesporte (Fundação de Desporto e Lazer de Mato Grosso do Sul) como exemplo na redação. “Usei a Fundesporte, que incentiva muito, jovens, idosos e os deficientes físicos”.


De modo geral, Felipe relata que a prova estava fácil, mas  que, como todo exame, também tinha questões mais complexas.


Juan Sanchez, 17 anos, quer cursar medicina, ele faz parte do grupo que foi pego de pelo tema.”Estava achando que seria meio ambiente, guerras. Mas não foi difícil. A pessoa que todo dia estuda acredito que não tenha tido dificuldade. Foi um tema bom e é recorrente. O Brasil ficou entre os três melhores da copa do mundo paraolímpica de futebol esse ano, mas não recebeu tanto crédito por ser de deficiente”. EWS


Juan Sanchez, achou o tema fácil, mas foi surpreendido com o conteúdo (Foto: Juliano Almeida) - CREDITO: CAMPO GRANDE NEWS

Segundo Juan, os esportistas não têm o reconhecimento merecido na área. Ele acrescenta que o nível de dificuldade da prova estava médio. “Não é uma prova fácil. A expectativa era que fosse até mais complicada, vou com uma boa nota”.


Já o estudante Carlos Augusto Silva, 18 anos, que também deseja ingressar no curso de medicina achou o tema difícil.


“Achei que seriam queimadas o tema, tá acontecendo muito. Foi um tema difícil, não sabia muita coisa, mas li o texto de apoio e me ajudou”. Apesar da dificuldade da redação, a prova objetiva estava fácil para Carlos. “A prova estava fácil, alguns pontos, como exatas não sou muito bom então estava difícil”.


Carlos Augusto Silva sentiu dificuldade no tema da redação deste domingo (Foto: Juliano Almeida) - CREDITO: CAMPO GRANDE NEWS

Prova - O Vestibular Uems foi aplicado em 18 municípios de Mato Grosso do Sul. Ao todo, 7.908 candidatos estavam inscritos para realizar as provas objetivas e de redação do PSV/Uems 2024. Ainda não há informações sobre a quantidade de ausentes no exame.




4 visualizações0 comentário

Comentarios


bottom of page