top of page

Professora e ativista PcD denuncia tratamento inadequado em viagem de avião

Aline Castro, de 30 anos, denuncia ter sido constrangida por um comissário de bordo


Portal R7



Uma professora da Universidade Federal de Minas Gerais denuncia que sofreu um tratamento inadequado por um comissário de bordo em um vôo da companhia aérea LATAM. Aline de Castro, de 30 anos, que é palestrante e ativista PcD, voltava de Brasília para Belo Horizonte, na última sexta-feira (26), quando, segundo ela, teve o assento prioritário negado a ela e sua acompanhante. (Assista ao vídeo no final da matéria).


Em um vídeo publicado nas suas redes sociais, Aline aparece discutindo com o comissário chefe de bordo. Em determinado momento, ela pede para que ele a deixe terminar de falar. O comissário responde “não, a senhora não vai falar mais”.


Em outro vídeo publicado nas redes sociais, Aline conta que preencheu toda a documentação necessária para que tivesse direito ao assento prioritário para ela e sua acompanhante, mas que ao realizar o check-in, descobriu que os assentos estavam ocupados e foi orientada a procurar o comissário de bordo. Segundo Aline, o comissário sugeriu que ela viajasse em um assento distante de sua acompanhante.


A professora explica que, devido à sua deficiência, precisa viajar com um acompanhante ao seu lado, direito que é assegurado por lei. A situação, segundo ela, só foi resolvida depois que duas pessoas cederam os lugares a ela e sua mãe. Aline conta que toda a situação foi testemunhada pelos outros passageiros e foi constrangida ao ter que explicar diversas vezes sobre sua deficiência.


“Quando uma pessoa com deficiência é desrespeitada, todas as outras são. Hoje, o desrespeito foi comigo. Amanhã pode ser com qualquer um de nós.”, desabafou a professora. Aline estava em Brasília para uma agenda de reuniões na Esplanada dos Ministérios para discutir os desafios das pessoas com deficiência no país.

Em nota, a Latam informou que “a passageira foi acomodada pela companhia nas primeiras fileiras da cabine adquirida (Economy), mas solicitava viajar nas primeiras fileiras de outra cabine (Premium Economy), que não tinha disponibilidade para ela e sua acompanhante” e que segue as normas da ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil). A companhia também informou que “em nenhum momento impediu a passageira e a sua acompanhante de viajarem lado a lado nas primeiras fileiras da cabine adquirida (Economy)”.


A LATAM reforça que adota todas as medidas necessárias para uma operação segura.


Assista ao vídeo:




Confira a nota na íntegra:


“A LATAM informa que segue as normas da ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil) que estabelecem a preferência dos primeiros assentos das aeronaves aos passageiros com necessidade de assistência especial (PNAE) e seus acompanhantes. Essa preferência é concedida com base na cabine escolhida na compra da passagem.

No caso em questão, registrado no embarque do voo LA3724 (Brasília-Belo Horizonte/Confins) desta sexta-feira (26/4), a passageira foi acomodada pela companhia nas primeiras fileiras da cabine adquirida (Economy), mas solicitava viajar nas primeiras fileiras de outra cabine (Premium Economy), que não tinha disponibilidade para ela e sua acompanhante.

A LATAM esclarece que em nenhum momento impediu a passageira e a sua acompanhante de viajarem lado a lado nas primeiras fileiras da cabine adquirida (Economy), cumprindo rigorosamente o que determina a Resolução 280 da ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil) para o embarque de Passageiros com Necessidade de Assistência Especial (PNAE) e seus acompanhantes.

Durante o embarque, a cliente solicitou ser acomodada com a sua acompanhante em outra cabine (Premium Economy). No entanto, esse espaço já estava ocupado por outros passageiros e isso foi explicado pelos tripulantes. O embarque prosseguiu normalmente e a cliente viajou ao lado da sua acompanhante na primeira fileira da cabine Economy.

Após a acomodação dos demais passageiros e finalização do embarque, a passageira aceitou as condições e o voo foi realizado sem intercorrências.

Após a acomodação dos demais passageiros e finalização do embarque, a passageira aceitou as condições e o voo foi realizado sem intercorrências.

A LATAM reforça que adota todas as medidas para manter a segurança de suas operações nos mais altos níveis.”






1 visualização0 comentário

Comments


bottom of page