top of page

O fio do tempo, lutas e alegria

Texto de Tuca Munhoz, para o Observatório Deficiência |



No dia 19 de outubro de 1980, saí de São Caetano do Sul, Grande São Paulo, onde morava, em direção ao antigo Hospital Matarazzo (que não existe mais, dando lugar a um dos mais luxuosos hotéis de São Paulo).

Nesse hospital, morava uma das mais notáveis lideranças do movimento de pessoas com deficiência da época, Maria de Lourdes Guarda.

Foi de lá, desse hospital, que saímos todos rumo a Brasília. Se bem me lembro, éramos 16 pessoas, incluindo a própria Maria de Lourdes. Ela precisava de uma maca para se locomover e vários bancos do ônibus tiveram que ser retirados para que ela pudesse se acomodar.

No ônibus, estavam pessoas da Fraternidade Cristã de Pessoas com Deficiência, FCD, à qual ela pertencia, e do Núcleo de Integração do Deficiente, NID, ao qual eu pertencia.

Foram quase 20 horas de viagem para participar do 1° Encontro Nacional de Entidades de Pessoas com Deficiência. Além de nós, estiveram presentes nesse evento outras cinco centenas de pessoas, a maioria com deficiência, de todos os cantos do país.

Foi uma viagem divertida, lembro-me das muitas risadas, dos gritos de alegria e das brincadeiras. Porém, tudo muito precário. Viajamos às próprias custas, sem apoios oficiais ou particulares, e isso foi muito bom. Nossa capacidade de organização foi colocada à prova e vencemos.

Maria de Lourdes foi uma grande liderança, foi uma das grandes responsáveis pelas articulações necessárias para essa viagem, juntamente com a coordenadora do NID, Lia Crespo.

Quando chegamos à Brasília, estava uma noite linda, de lua cheia, enorme, e o ônibus parou em frente ao Palácio do Planalto. Essa imagem nunca saiu da minha memória: era a lua, o Palácio e o céu - uma cena inesquecível!

Teria muito mais a contar sobre essa viagem, essa aventura política, mas contei esse trechinho apenas porque foi um pequeno vídeo que assisti esses dias que me fez recordar tudo isso.

Esse vídeo registrou a alegria de dois queridos amigos, Agna Cruz e Fábio Barcelos, brincando, cada um em sua cadeira de rodas, no estacionamento do Palácio do Planalto, também com um céu lindo de entardecer, os dois rindo e brincando logo após o lançamento do Novo Plano Viver Sem Limite.

Eu me senti junto deles, brincando, feliz, debaixo daquele lindo céu de Brasília. Eu me senti um dos portadores de um magnífico fio que liga aquele encontro de 1980, com o lançamento desse Plano, em 2023.

Todo esse tempo passou, tanto fizemos em nossas vidas, lutas e conquistas. Conquistas que têm de chegar a todas as pessoas com deficiência. Ainda não chegaram.

Mas a nossa alegria naquela já longínqua viagem e a alegria dos queridos amigos no estacionamento do Palácio, é o composto que faz a liga desse fio que nos une no tempo e nos faz, antes de tudo, brasileiros que vivem e querem um Brasil melhor para todos.


Tuca Munhoz

Em São Paulo, 27 de novembro de 2023




*Tuca Munhoz é ativista pelos direitos humanos das pessoas com deficiência, gestor público, político, comunicador e escritor. “Minha história é contar histórias, inventadas, reais, vice e versa e misturadas”, diz Tuca sobre Tuca.

28 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page